Mais de 900 mil documentos da CIA disponibilizados na Internet

Relatórios sobre avistamentos de OVNIS, estudos sobre poderes sobrenaturais ou vigilância da imprensa estão entre as mais de 12 milhões de páginas disponibilizadas pela CIA.

REUTERS
REUTERS

A CIA publicou cerca de 930 mil documentos desclassificados, perfazendo mais de 12 milhões de páginas, que estão agora online e acessíveis ao público em geral. A decisão surgiu depois da pressão exercida por variados grupos de defesa da liberdade de informação e na sequência de um processo judicial.

A notícia foi dada em primeiro lugar pelo site Buzzfeed, informando que a documentação, que inclui relatórios sobre avistamentos de OVNIS ou experiências psíquicas, era já pública mas era apenas disponibilizada no Arquivo Nacional americano em Maryland. Agora, as páginas podem ser consultadas aqui.

Na sua página, a CIA admite que a visita a Maryland para a consulta dos documentos era “inconveniente e representava um obstáculo para os investigadores”.

Da base de dados, denominada “Crest”, fazem parte documentos do antigo secretário de Estado dos Presidentes Richard Nixon e de Gerald Ford, Henry Kissinger, e documentos sobre os crimes de guerra cometidos pelo regime nazi. A colecção inclui também temas mais científicos, alvo de várias teorias de conspiração, tais como OVNIS, receitas para tintas invisíveis e investigação centrada na telepatia.

Neste âmbito, encontram-se registos sobre o chamado Stargate Project, que se baseava na análise de capacidades psíquicas sobrenaturais e extra-sensoriais, estudando-se a possibilidade de utilizar a telepatia para fins de espionagem e militar.

Em concreto, disponibiliza-se os exames realizados a Uri Geller em 1973, numa altura em que este ganhava destaque em programas de televisão onde demonstrava os seus poderes sobrenaturais. A BBC nota que os relatos documentados referem que o israelita conseguiu reproduzir desenhos feitos por pessoas presentes numa sala separada.

Apesar de ter impressionado os investigadores da altura, em 1995 foi escrito um relatório onde se concluía que não foi demonstrada a existência de um “fenómeno paranormal ou visão remota”.

O Guardian, por sua vez, traz a lume a actuação da CIA em relação aos órgãos de comunicação social. A documentação agora divulgada mostra que a agência possuía informação detalhada sobre empresas de media e jornalistas. Por exemplo, uma cópia de um artigo da revista Mother Jones de 1978 era acompanhada com uma nota onde se descrevia que a publicação era “um escândalo produzido localmente publicado por um grupo de dissidentes”.

Sobre os jornalistas responsáveis pela investigação que culminou no caso Watergate a informação é extensa. Na altura em que Carl Bernstein passou para a televisão ABC, foi enviada uma carta à CIA a dar conta da transferência, sendo que o autor afirmava querer “descobrir que tipo de pessoa é que ele é”. Outras dezenas de documentos incidem sobre o parceiro de Bernstein, Bob Woodward, e a respectiva equipa de investigação que trabalhou no caso que ditou a queda do Presidente Nixon. Em 1985, foi escrita uma nota onde se informava o que Woodward andava a preparar: “Soube por uma fonte da CIA que o repórter do Washington Post Bob Woodward lançou um mau olhado ao chefe da CIA Bill Casey. Woodward anda a entrevistar toda a gente que alguma vez conheceu Casey”. Dois anos mais tarde, Woodward escreveu mesmo um livro sobre o período em que Casey foi director da agência.

Foi o grupo sem fins lucrativos MuckRock, defensor da liberdade de informação, que primeiro processou a CIA tentando forçar a publicação dos referidos documentos na Internet. Mas, ao mesmo tempo, o jornalista Mike Best iniciou uma campanha de recolha de fundos, em que conseguiu reunir 15 mil dólares, para visitar o arquivo em Maryland, imprimir todas as páginas e divulgá-las por iniciativa própria.

Clique aqui para ler o artigo completo

Follow Uri

Scan to Follow Uri on Twitter

Latest Articles

Read All Latest Articles
Amazing Lectures! uri lectures
Motivational Inspirational Speaker
Motivational, inspirational, empowering compelling 'infotainment' which leaves the audience amazed, mesmerized, motivated, enthusiastic, revitalised and with a much improved positive mental attitude, state of mind & self-belief.

"Uri Geller gave an absolutely resonating talk on his life and career. He had every single magician in the room on the edge of their seats trying to digest as much information as they could. Uri emphasized that the path to frame is through uniqueness and charisma and that professional entertainers must be creative in their pursuits of success and never shy away from publicity."
Tannens Magic Blog

"There is no spoon!"
The Matrix

"The world needs your amazing talents. I need them"
Michael Jackson

"The man is a natural magician. He does everything with great care, meticulous misdirection and flawless instinct. The nails are real, the keys are really borrowed, the envelopes are actually sealed, there are no stooges, there are no secret radio devices and there are no props from the magic catalogues."
James Randi (In an open letter to Abracadabra Magazine)

"Absolutely amazing"
Mick Jagger

"Truly incredible"
Sir Elton John

"The Geller Effect is one of those "para" phenomena which changed the world of phusics. What the most outstanding physicists of the last decades of this country colud grasp only as theoretical implication, Uri brought as fact into everyday life.."
Dr. Walter A. Frank. Bonn University - Germany

"Eternity is down the hall And you sit there bending spoons In your mind, in your mind"
Johnny Cash

"I Have watched Uri Geller... I have seen that so I am a believer. It was my house key and the only way I would be able to use it is get a hammer and beat it out back flat again."
Clint Eastwood

"Better than watching Geller bending silver spoons, better than witnessing new born nebulae's in bloom"
Incubus

Do you have a question? Contact Uri!